A menina que não sabia ler - John Harding


A Menina Que Não Sabia LerO livro "A menina que não sabia ler" do autor John Harding merece ser lido. Nunca imaginei que em um livro eu pudesse ter as sensações que tive. Este mexeu demais com minha imaginação e apesar de uma breve decepção ao termino do livro, eu não deixei de gostar. Como poderia deixar de gostar de um livro que me proporcionou tantas sensações incríveis? 


O livro é narrado pela jovem Florence, uma menina de apenas 12 anos, que mora em Blithe, uma mansão, junto com seu irmão mais novo Giles e seus criados. Nesta lugar enorme, ela brinca com seu irmão, até que em um dia ela encontra um lugar maravilhoso: a biblioteca da casa e mesmo sem saber ler passa a fazer visitas constantes ao lugar, que agora era um segredo seu e de Giles. "Nesta parte do livro eu já estava adorando a personagem, ela apesar de ter apenas 12 anos mostrou-se madura o bastante em vários aspectos e atitudes, além de é claro amar livros." Infelizmente, nenhum dos criados poderia saber que ela estava indo para a biblioteca, pois a mando do seu tio, os criados não poderiam alfabetiza-la, pois era muito jovem e moça para isso.  Naquela época (o livro se passa em 1891) uma jovem não necessariamente precisava de estudos. Porém, nada disso impedia que ela pudesse aprender a ler, com a ajuda inconsciente de alguns criados e alguns livros que encontrara na biblioteca a jovem Florence logo já estava alfabetizada.  



Como eu já disse a educação feminina era vista como algo não tão importante na época, mas se tornava contrário quando a figura era masculina. Então chega o dia que Giles, seu irmão, tem que ir estudar fora. Nesta parte do livro é muito triste, pois o leitor acaba percebendo o laço de amor entre os dois, como são unidos. Florence acaba não tendo companhias, exceto é claro pelo cavalheiro da história, Theo. Theo tem a mesma idade de Florence e se mostra interessado por ela desde o primeiro momento, com seus poemas e pedidos para beija-la. Já Florence, se mostrava um tanto difícil e sempre dizia que seus poemas não estavam bons o bastante para ela, o que me dava dó do pobre Theo. No começo pensava que Florence só estava se valorizando um pouco, mas depois percebi que ela só estava o usando.

Como eu estava dizendo, com a ida do seu irmão para estudar fora, Florence começou a ficar um pouco mais sozinha que antes e neste mesmo período é que os pesadelos começaram. O sonho era de uma mulher que ameaçava seu irmão nos sonhos. O sonho era realmente assustador. Após a volta de seu irmão uma preceptora é contratada para auxiliar nos estudos de seu irmão, mas esta não fica por muito tempo. Até que então uma nova preceptora chega em Blithe e logo com sua chegada fatos estranhos começam a acontecer. Esses fatos são ligados a nova preceptora e consequentemente ao sonho que Florence andou tendo durante a ausência de Giles. Florence agora acredita que a preceptora chegou ali com tudo planejado para levar seu irmão com ela. É neste momento que Florence começa a ver coisas e começa a investigar mais a fundo a vida da nova preceptora.  

O que esconde a nova preceptora? Essa é a pergunta que me fiz do começo ao fim do livro e nenhuma resposta. Claro que cheguei a conclusões, mas nada tão concreto. Gostaria que o autor tivesse respondido não somente esta pergunta, mas todas as outras que ficaram ali sem nenhuma explicação. Se o autor quis mexer com a imaginação do leitor, conseguiu. Todas as conclusões e respostas foram obtidas através de analises minhas ou sendo mais clara da minha imaginação. Não sei realmente o que é o certo e para ser sincera acho que nunca saberei, mas que me senti diferente lendo este livro e por isso eu recomendo, apesar de toda essa decepção ao fim do mesmo. 

Neste livro você vai se deparar com vários sentimentos, do amor ao ódio. Você vai festejar no começo com as atitudes inteligentes de Florence, mas vai chorar de raiva no fim com as atitudes - que acredito eu, tomaríamos a mesma - da mesma. O livro além de  tudo isso, tem uma linguagem rebuscada, que eu admiro muito. Sou daquelas leitoras que gostam de um livro leve, bem o gênero infanto-juvenil, mas que também aprecia um livro de época, com seu vocabulário rico. Para quem gosta de ler esse tipo de livro e se conforma tendo que usar a imaginação para responder você mesmo suas perguntas, leia este livro. Com toda a certeza, vai ser uma experiência única.


 Assista o book trailer:

10 comentários on "A menina que não sabia ler - John Harding"

Nícolas on 20 de agosto de 2011 07:05 disse...

Que legal. É um daqueles livros arte. Literatura mesmo, não. Do tipo apreciado pela crítica. Gostei de sua análise. Lembro-me de um livro que é igualzinho à este: O crime mais cruel, de miriam mambrini: com o psicologico de todos os personagens sendo desenvolvidos. Mas no final, não fica aquele desfecho surpreendente que muitas pessoas me falaram. Tive que levar na interpretação. O bom, é que não carregou muito na sacarina, semelhante ao livro "a menina que nao sabia ler", da sua resenha. Então, o leitor acaba gostando muito no final.

teh mais
http://braunne.blogspot.com

Dasty-Sama on 20 de agosto de 2011 10:17 disse...

Estou louca para ler esse livro, acho que porque ele me lembra A Menina que Roubava Livros. Já li algumas resenhas que também apresentaram pontos negativos para a histórias, mas acho que mesmo assim irei gostar. Adoro livros de época com linguaguem rebuscada, acho lindo :)

αmαndα cristinα ツ on 20 de agosto de 2011 12:16 disse...

Adorei sua resenha! Não havia lido nenhuma resenha até o momento, mas desde ontem quando vi o booktrailer pensei: "Eu tenho que ler este livro!" e sua resenha só me deixou com mais vontade de lê-lo! rs'
Livros de época são maravilhosos e vocabulário rico então... Nem se fala. Lindo, lindo, lindo!

Bjs.
www.primeiro-livro.com

Francielle Couto on 20 de agosto de 2011 17:08 disse...

Parabéns pela resenha... muito bem elaborada. Vocêtocou em pontos importantes do livro. Digo de todo o coração que esta é uma das minhas obras favoritas. Assim como você, o livro me provocou inúmeras sensações, me tocando de forma singular. :') Inesquecível e impressionante, sem mais.

Um abraço.
http://universoliterario.blogspot.com/

Zilda Mara Peixoto on 20 de agosto de 2011 18:13 disse...

Parabéns pela riquíssima resenha.Muito bem construída.Me fez ter mais curiosidade ainda por sua literatura.Encomendei o livro essa semana e agora, estou o aguardando.Depois de ler sua resenha,tenho certeza que não irei me arrepender.
Até.
Beijos!!!

Lis on 21 de agosto de 2011 06:42 disse...

Esse livro não é perfeito?! Eu me apaixonei pela história, pelo modo como é contada e construída, tudo fazendo sentido... Simplesmente encantador!!
Adorei a resenha, você conseguiu deixar os leitores ainda mais curiosos (:

Beijo,
Lis

Gabriela on 21 de agosto de 2011 06:45 disse...

Nunca dei muita bola pra esse livro, mas depois dessa resenha fiquei bem curiosa e com vontade de ler o quanto antes

Naty on 21 de agosto de 2011 09:53 disse...

Quase todo mundo se decepcionou com o fim do livro, mas eu até que gostei. Achei diferente e de certa forma deixou a desejar ;D

Adorei a resenha, muito bem escrita, parabéns!

Beijoos;*
Naty - Just Books !

Ana on 21 de agosto de 2011 14:30 disse...

Oi, Pã :) Ainda não tive oportunidade de ler esse livro, mas parece ser daquelas histórias que, além de fazer refletir, tbm deixam o final em aberto. Para o leitor tirar as próprias conclusões. Eu percebo nessas formas de escrita, um diferencial.

Tbm são meus preferidos! Rose e Jack <3

Bjs ;)

Geê on 21 de agosto de 2011 14:47 disse...

Já tinha visto esse livro em vários lugares, porém nunca cheguei a comprar. Não sabia a história até agora, parece bem intrigante!
Beijos
Geê - algodisso.blogspot.com

Postar um comentário

 

Jovem Leitora Copyright 2010 ~ Designed by Rinda's Template ~ Inspired by Ipiet Template ~ Author by Your Name's Here :)